Sexta, 17.Nov.2017



Por Elder Muniz

LULA, O ALVO

Ex-presidente lidera pesquisa Vox Populi.


21/04/2017 09:10
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

A mais recente pesquisa realizada para a corrida presidencial no Brasil mostrou que Lula possui uma musculatura política que os seus adversários, mesmo juntos, não conseguem superar. Em meio ao intenso bombardeio midiático diário, o ex-presidente resiste firme e a cada dia supera uma fase desse árduo desafio que lhe foi imposto. Lula foi escolhido pela elite político- econômica como o alvo a ser destruído.

A pesquisa realizada pelo instituto Vox Populi divulgada na última terça (18) deixou muita gente estonteada. O resultado aponta a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva no 1º turno, em 2018. Para além desse prognostico, Lula lidera em todos os cenários vencendo tucanos, fundamentalistas e reacionários da pior espécie. Num possível 2º turno, Lula também venceria todos os adversários que já prenunciam interesse na disputa presidencial do próximo ano.

Lula é alvo de uma enxurrada de acusações, até agora, nenhuma delas comprovada. Objeto da disputa obsessiva de setores do judiciário e do ministério público, o ex-presidente vem sendo alvo das diversas ações desses agentes públicos que se utilizam de seus cargos para a satisfação político-ideológica, contribuindo demasiadamente com o desencadeamento do sentimento de ódio na população, sob a proteção do manto sagrado do direito de fazer ‘justiça’, alegado por eles.

Não me causa estranheza compreender os motivos pelos quais essa gente investe profundamente na destruição de uma liderança popular como Lula. Aliás, são explícitas as razões que levam a elite brasileira tentar derrotar Lula, mesmo antes das eleições. Um presidente que permitiu aos setores da base da pirâmide social à ascensão socioeconômica, garantindo o acesso a bens de consumo, permitindo o ingresso da juventude pobre e negra no ensino superior, assegurando o mínimo necessário aos marginalizados, possibilitando à realização do sonho da casa própria, dinamizando a economia brasileira, tornando o Brasil um país respeitado mundialmente, enfim. Uma liderança com esse perfil não interessa aos que nutrem, de modo incontrolado, o complexo de vira-latas.

Obviamente que o governo do ex-presidente Lula está longe da perfeição, seja pelos erros administrativos, seja pelos erros políticos, a exemplo de acreditar na tática de conciliação de classes. Lula perdeu a oportunidade de fazer reformas importantes, de propor políticas públicas mais à esquerda, de educar politicamente a população em ascensão, porém os erros são menores que os acertos e é isso que também o credencia a uma nova disputa para devolver autoestima e perspectiva de futuro ao povo brasileiro, resgatando direitos históricos dizimados pelo governo ilegítimo de Michel Temer e reajustando o país ao caminho do aprofundamento das mudanças iniciadas em 2003.

O desafio posto aos setores progressistas é imensurável e é preciso ter maturidade política e, simultaneamente, iniciativa para reagir diante das atrocidades perpetradas no estado de exceção em que estamos vivendo. Os adversários de Lula e dos trabalhadores do Brasil querem alcançar o ex-presidente com a ‘mão de ferro’ do judiciário, ao tempo que omitem e escondem os erros de seus aliados, selecionado apenas a edição de imagens que os interessa. De uma coisa eu tenho certeza, mesmo com todas essas ações espúrias contra Lula o povo insiste em fazer voltar ao governo do Brasil quem lhe trouxe respeito e dignidade.


Compartilhar no Whatsapp
Imprimir