Quarta, 13.Dez.2017



“Troco minha medalha por uma sala para estudar”, desabafa aluna sobre estrutura de escola

SEED diz que uma equipe do Setor de Engenharia foi deslocada para a escola e está tomando as devidas providências.


15/03/2017 23:37 - Atualizado em 15/03/2017 23:40
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

A aluna Vanessa Maria, semifinalista da Olímpiada da Língua Portuguesa, desabafou esta semana em relação a estrutura do Colégio João Salônio em Nossa Senhora Aparecida, “eu encho a boca para dizer: troco minha medalha por uma sala para estudar!”.

Confira o texto divulgado pela estudante:

“Na tarde dessa segunda-feira, 13 de março, estávamos eu e alguns colegas no Colégio Estadual João Salônio assistindo aula no turno vespertino, já que as aulas do 3° “A” ainda não começaram por falta de salas disponíveis, pois o teto da sala na qual estudaríamos ameaçava cair e, para nosso espanto, começou a cair hoje à tarde, após a chuva. Confesso a minha gratidão e alegria pelo fato de a sala estar fechada e o acidente não ter gerado vítimas. Entretanto, e SE…? E se a turma estivesse lá? E se não tivessem descoberto que uma sala, aparentemente em boas condições, nos colocaria em risco? E se…? Se algo trágico tivesse ocorrido, talvez olhariam para nós. Talvez lembrariam que os alunos do João Salônio precisam e merecem condições dignas para estudar. E não, eu não estou reivindicando regalias e luxos, afinal nunca os tivemos. Não venho por meio deste desabafo pedir ventiladores novos, pois já estamos acostumados a tê-los só de enfeite. Aliás, até entra um ventinho por aqueles vitrores quebrados, que também deixam passar a luz forte, mas isso a gente resolve, uma fila cola na outra e fica tudo bem. A chuva que por eles passa também não consegue nos deter. Não por uma nem duas vezes já armamos as sombrinhas e continuamos a assistir às aulas. Também não falo da microcantina, de não ter refeitório nem biblioteca, da instalação hidráulica que faz com que falte água no colégio quase diariamente, tampouco do estado dos banheiros que, acreditem, não é bom. Sequer me refiro ao projeto de laboratório e àquela sala de informática que viraram salas de aula, pois os computadores não estavam instalados mesmo, já que a rede elétrica não os suporta. Não vim pedir hoje aquilo de que precisaríamos para ter um ensino digno, mas o que necessitamos para ao menos ter aula: uma sala. Pode ser apenas com as quatro paredes, uma porta, carteiras, um quadro e um teto que não ameace cair. Já estávamos acostumados assim… Tínhamos o básico: professores dispostos a ensinar, alunos com vontade de aprender e uma sala, a bendita sala que hoje nos falta. Em nome da turma, peço encarecidamente que medidas sejam tomadas, e peço que cada um faça a sua parte, seja compartilhando essa publicação ou fazendo algo que esteja ao seu alcance. Queremos apenas que a Secretaria de Educação de Sergipe olhe para nós e veja as nossas necessidades! E já que encheram a boca e estufaram o peito para dizer que “A escola estadual lá de Aparecida, da DRE 03, teve aluno na semifinal da olimpíada”, eu encho a boca para dizer: troco minha medalha por uma sala para estudar!” – ressaltou a jovem Vanessa Maria em nota enviada à nossa equipe. 

De acordo com a assessoria da Secretaria de Estado da Educação uma equipe do Setor de Engenharia foi deslocada para a escola e está tomando as devidas providências. “O secretário de Estado da Educação Jorge Carvalho, de imediato, determinou que uma empresa responsável pelo serviço de manutenção e reforma das escolas estaduais da Diretoria Regional de Educação 03 inicie, nesta quarta-feira, 15, a manutenção do telhado da escola para que restabeleça a segurança dos alunos, servidores e patrimônio público”.

banner topo

Compartilhar no Whatsapp
Imprimir