Segunda, 23.Otu.2017



Romaria celebrará 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida

Mais de 100 mil fiéis participam todos os anos da tradicional romaria de Nossa Senhora Aparecida, em Sergipe.


27/09/2017 23:11 - Atualizado em 27/09/2017 23:11
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

A cidade de Nossa Senhora Aparecida, que fica a cerca de 96 km de Aracaju, prepara-se para realização de sua tradicional romaria, que reúne todos os anos mais de 100 mil fiéis. Encontrada no rio Paraíba do Sul no ano de 1717, a imagem milagrosa de Nossa Senhora Aparecida completa este ano 300 anos. Em comemoração à data, a paróquia do município promove uma programação especial para receber os devotos em uma caminhada que deverá unir todo o estado, além de fiéis de várias partes do Brasil.

Em sua 14ª edição, a romaria possui um percurso de aproximadamente oito quilômetros, iniciando no povoado Queimadas, em Ribeirópolis, até a sede do município de Nossa Senhora Aparecida. A homenagem à santa, reconhecida como padroeira do Brasil em 1930, é um marco na história da cidade, cuja economia é baseada na agropecuária, e faz parte da identidade de seus moradores.

De acordo com o Padre da cidade, Douglas Gonçalves, Aparecida recebe milhares de fiéis todos os anos. "A paróquia dedicada à santa tem cerca de 9 mil habitantes e todos os anos se prepara para o mês de outubro, onde recebe um grande número de romeiros. É uma festa grandiosa que já é considerada a segunda maior romaria a pé do Brasil", explica.

Tamanha é a grandiosidade da peregrinação, que em 2015 ela foi reconhecida como patrimônio cultural e imaterial do Estado de Sergipe, através da Lei Estadual nº 63/2015, sendo inclusa no Calendário Festivo de Sergipe. "Este ano a movimentação de pessoas deve crescer ainda mais. São 300 anos de bênçãos que merecem a programação devocional especial que preparamos. Uma caminhada que vai unir milhares de devotos ao redor de Nossa Senhora Aparecida, por laços de fé e amor", acrescentou o padre Douglas. 

História do encontro da Imagem – No ano de 1717, três pescadores, levados por necessidades históricas e econômicas, saíram a pescar, numa época escassa de peixes. Por ação misteriosa de Deus, chegando ao "Porto de Itaguassu", a primeira coisa que caiu em suas redes foi o corpo de uma imagem quebrada, na altura do pescoço. Num segundo lance de rede, pescaram a cabeça da mesma imagem. Juntando as duas partes viu-se que se tratava da Senhora da Conceição. Depois do encontro da Imagem, a pesca de peixes foi abundante e os pescadores intuíram a presença e ação de Deus naquele singular evento.

Por Igor Sá/ Assessor de Comunicação da Paróquia de Nossa Senhora Aparecida/SE.


Compartilhar no Whatsapp
Imprimir