Segunda, 23.Otu.2017



Após 3 anos, acusado de estupro contra vulnerável em Areia Branca é preso

Policiais civis retomaram as investigações do caso que vitimou um garoto de 9 anos em 2014.


29/09/2017 09:16
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

Nesta quinta-feira, 28, policiais civis da Delegacia de Areia Branca prenderam Eurismar Ferreira Nunes Santos, mais conhecido como "Zé da Chácara de Matje Back (Mike)", em cumprimento a mandado de prisão emitido pelo Judiciário, por estupro cometido contra um garoto de nove anos, em 2014. A prisão ocorreu na zona Sul de Aracaju.

A equipe policial da Delegacia vem retomando os mandados de prisão em aberto na área de circunscrição da unidade. Em um dos casos, um garoto de nove anos foi abusado sexualmente por quase um ano, em troca de doces, roupas e brinquedos, por Zé, enquanto era caseiro de uma chácara de propriedade de uma estrangeira.

Na época do fato, o autor fugiu, quando o pai denunciou a violência ao Conselho Tutelar da cidade. A delegada encarregada do caso, à época, confirmou os abusos, por meio de exame de corpo delito, realizado junto ao Instituto Médico Legal. Entretanto, a prisão do autor tornou-se inviável, pois ninguém sabia o nome completo, e a dona da chácara que o havia contratado, saiu do país no ano de 2015, após também ter sido vítima de abuso sexual cometido por outro indivíduo.

Agora em 2017, quando as investigações foram retomadas, os policiais localizaram uma pessoa que sabia onde a companheira de Zé trabalhava. E na manhã de hoje, após diligências, Eurismar foi preso na avenida Anísio Azevedo, em Aracaju, após três anos do cometimento do crime.

Ouvido na Coordenadoria de Polícia Civil no Interior (Copci), Eurismar nega o crime. Ele foi encaminhado à 1ª Delegacia Metropolitana (1ªDM), onde se encontra à disposição do Juízo da Comarca de Areia Branca.

Intensificação dos trabalhos

O reforço na equipe da Delegacia de Areia Branca, com a convocação dos aprovados no concurso da Polícia Civil, tem permitido que os casos que estavam parados, com mandados de prisão em aberto, sejam concluídos e encaminhados ao Judiciário sergipano. 

Somente no 1º semestre de 2017, das 30 prisões registradas na unidade policial, 23 foram realizadas pela PC, enquanto as outras três foram feitas por outras forças de segurança.

Por SSP-SE


Compartilhar no Whatsapp
Imprimir