Segunda, 23.Jul.2018



Moita Bonita pode se tornar Capital Nacional da batata doce

A batata doce de Moita Bonita tem mercado na região nordeste, além de São Paulo e Rio de Janeiro.


28/12/2017 08:37 - Atualizado em 28/12/2017 08:44
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

Como a produção de 50 mil toneladas de bata doce por ano, o município de Moita Bonita pode ganhar o título de Capital Nacional da Batata Doce é o que afirma o Secretário de Agricultura e presidente da Cooperativa de Produtores da Agricultura Familiar e Solidária de Moita Bonita (Cooperafes), José Joelito Costa Santos.

O município possui cerca de 900 hectares de plantação em pequenas propriedades de batata doce. O cultivo do tubérculo representa 70% da renda da agricultura familiar, que é praticada durante os 365 dias do ano, com maior produtibilidade durante o período chuvoso (março a novembro).

O cultivo da batata doce nem sempre foi a principal fonte de renda. O prefeito Marcos Costa (PMDB) lembra que houve uma migração da plantação da mandioca para o cultivo da batata doce. “Essa maior rentabilidade fez com que os agricultores passassem a cultivar a batata doce, que hoje é maior fonte de renda dos moitenses e proporcionalmente uma das maiores produções do Brasil”, destaca o prefeito Marcos Costa.

Ainda segundo o prefeito, a Cooperafes tem sido exemplo de sucesso para todo o Brasil. “É uma cooperativa que funciona muito bem, o associado, planta, cultiva e vende, sem a figura do atravessador, onde os lucros são maiores, dando uma condição de vida melhor para os nossos agricultores”, acrescenta.

Joelito acredita que o município esteja no topo dos maiores produtores de batata doce. “Moita é a Capital Nacional da batata doce. Eu duvido que outro município, que outra região, tenha a bata doce tão importante para sua economia, para o desenvolvimento da sua agricultura como a nossa. Nossa área geográfica é pequena (95,820 km²), mas temos produção de batata doce muito alta, sendo uma das maiores médias de produtividade do país, superando 6 toneladas por tarefa, que equivale a mais de 20 toneladas por hectare”, afirma o secretário.

Joelito Costa  Secretário de Agricultura e presidente da Cooperafes.

Em qualquer época do ano tem caminhão sendo abastecido. De acordo com levantamento realizado pela Secretaria de Agricultura em parceria com a cooperativa são carregados 50 caminhões de batata doce por semana. “Cada caminhão deste carrega 16 toneladas, e emprega aproximadamente 50 pessoas. Fazendo uma multiplicação simples de 50 (número de caminhões) x 50 (número de pessoas) vai dá R$ 2.500 diárias de pessoas ocupadas no serviço da bata doce por semana e se multiplicar isso por 50 (preço médio pago por diária) vai dá uma renda semanal de R$ 125.000 mil reais, só com aquelas pessoas que trabalham vendendo suas diárias no cultivo, na comercialização e na colheita da bata doce. Com isso mensalmente são gerados mais de R$ 500 mil reais com o beneficiamento da batata doce”, acrescenta Joelito.

Criação da Cooperativa

No ano de 2007 o município de Moita Bonita deu um passo importante para a produção e beneficiamento da batata doce. Através da ideia do então deputado Bosco Costa, Joelito foi convidado para visitar a cidade de Uauá (BA), e lá eles constataram uma cooperativa de sucesso no beneficiamento do Umbu. O exemplo foi trazido e aperfeiçoado. No dia 30 de outubro de 2007 foi realizada a ata de fundação da Cooperativa de Produtores da Agricultura Familiar e Solidária de Moita Bonita.

Atualmente com 75 cooperados, a Cooperafes é um exemplo nacional seguido por outros estados. Joelito comenta que no princípio foi difícil conseguir mercado, recebendo muitas cobranças dos cooperados, mas graças ao apoio do município, a cooperativa se consolidou e sendo imprescindível para produção de batata doce no município.

A cooperativa possui parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMPRABA), SEBRAE e CONAB, e com isso os cooperados tem acesso a políticas públicas como emissão de DAP (Declaração de Aptidão ao Pronaf), um documento necessário para financiamento, comercialização e assistência. “No espaço que denominamos de “Núcleo Administrativo da Agricultura Familiar são oferecidos todos os serviços relacionados a agricultura. Lá o agricultor dispõe do conselho municipal, posto de atendimento da ENDAGRO, Secretaria de Agricultura, e a cooperativa”, comenta o presidente.

Através do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e com a Compra da Agricultura da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a cooperativa chega a comprar o produto do produtor em até 100% a mais que o valor utilizado pelos atravessados. O governo federal também compra esses produtos para a merenda escolar.

Com o objetivo de beneficiar a produção a cooperativa teve a iniciativa de produzir alguns produtos a partir da batata doce, como a farinha, o bolo e pão semi integral. Alimentos ricos em betacaroteno, ômega 3, fibras, vitaminas e minerais. 

Festival da batata doce 2018

No ano de 2018, a Secretaria de Agricultura em  parceria com a Cooperativa de Produção da Agricultura Familiar e Economia Solidaria (Cooperafes) estará realizando o Festival da Batata-doce.  Na programação é realizado o concurso da Rainha da Bata Doce, apresentação de grupos de reisado, pífano, apresentação da filarmônica do município, além de apresentação de artistas da cidade. Também está previsto a Copa da Batata Doce de Futebol de Campos, realização de receitas culinárias, que utilize a batata doce como principal ingrediente, palestras, a exposição de stands, a apresentação de orquestra sanfônica e resgaste de brincadeiras. 


Compartilhar no Whatsapp
Imprimir