Segunda, 22.Otu.2018



Polícia Federal prende José Yunes, amigo e ex-assessor de Temer

Segundo a defesa de Yunes, trata-se de uma prisão temporária de cinco dias. O advogado José Luis de Oliveira Lima alegou ainda que a prisão “ilegal” é “uma violência contra José Yunes e contra a cidadania”


29/03/2018 08:44 - Atualizado em 29/03/2018 08:55
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

A Polícia Federal prendeu na manhã desta quinta-feira (29), em São Paulo, o advogado José Yunes. Ele é amigo e ex-assessor do presidente Michel Temer.

A decisão pela prisão foi autorizada pelo ministro Luís Roberto Barroso, do STF, relator do inquérito que investiga se o presidente da República, beneficiou empresas do setor portuário, por meio de decreto, em troca de suposto recebimento de propina.

Segundo a defesa de Yunes, trata-se de uma prisão temporária de cinco dias. O advogado José Luis de Oliveira Lima alegou ainda que a prisão “ilegal” é “uma violência contra José Yunes e contra a cidadania”.

Em novembro do ano passado, Yunes prestou depoimento à Polícia Federal, no inquérito dos Portos. Nesta ocasião, ele relatou uma operação de venda de imóvel ao presidente Temer.

José Yunes é apontado pelo operador financeiro Lúcio Funaro, delator da Operação Lava Jato, como um dos responsáveis para administrar propinas supostamente pagas a Temer.

Segundo Funaro, para lavar o dinheiro e disfarçar sua origem, o advogado Yunes investia valores ilícitos em sua incorporadora imobiliária.

Por PF-SE.


Compartilhar no Whatsapp
Imprimir