Domingo, 23.Set.2018



Sergipe: demora do TSE favorece deputados cassados que já iniciaram pré-campanha

Editorial SergipeNet.


17/04/2018 10:10 - Atualizado em 17/04/2018 19:28
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

Convictos da vagarosidade no julgamento dos processos em instância superior, deputados cassados no Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE-SE), iniciam pré-campanha com vista no pleito de outubro.

O processos são da relatoria do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luiz Fux. Ele colocou em pauta nas sessões dos dias 15 e 20 de março. Na ocasião ocorreu o julgamento das questões preliminares dos deputados cassados, multados e/ou declarados inelegíveis. Porém, quando todos imaginavam a continuação até um veredito final, o julgamento não entrou em pauta quase um mês depois.

O TSE aprecia os recursos de deputados estaduais (à época) cassados por aplicação irregular e suposto desvio de verbas de subvenções sociais, destinadas pela Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), a entidades filantrópicas do estado em 2014.

Enquanto ocorre a inércia da justiça eleitoral, a justiça comum conseguiu importante vitória ao levar a júri os deputados Augusto Bezerra, e Paulinho da Varzinhas, sob denúncia de crimes de lavagem de dinheiro, peculato e organização criminosa. O processo sofreu pedido de vistas por parte do desembargador Alberto Romeu Gouveia até dia 25 de abril. Mas a condenação dos dois, em princípio, chega a 12 anos, sete messes e um dia de prisão 

Acusados no mesmo esquema, ainda sem julgamento no TSE, estão os estaduais Samuel Barreto, Gustinho Ribeiro, Jeferson Andrade, Venâncio Fonseca, Zezinho Guimarães e os dois ex-estaduais que se transformaram em federais, João Daniel e Adelson Barreto. Os nove podem ser cassados e ficarem inelegíveis ainda neste ano.


Compartilhar no Whatsapp
Imprimir