Sábado, 15.Dez.2018



Maria sobe o tom do discurso, diz que Valmir provocou rompimento e que os Teles não são covardes

Parlamentar mantém mistério sobre apoios a pré-candidatos ao senado e deputado federal.


21/06/2018 20:01 - Atualizado em 21/06/2018 20:02
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

Fotos: Tharlem Nascimento

Ladeada por vereadores e membros da família, a deputada Maria Mendonça (PSDB) falou em entrevista coletiva para, sobretudo, anunciar que deixou de lado o perfil moderado, e partiu para o ataque contra prefeito Valmir de Francisquinho (PR), seu ex-aliado, que segundo ela, foi formado na “escola de Chico de Miguel” (pai de Maria Mendonça).

A parlamentar começou a sua fala explicando porque havia silenciado. “Muitas vezes fui taxada naquele momento como ato de covardia, naquele silêncio, naquela forma de estar recuando, mas não foi ato de covardia. Foi entendendo que o bom censo fosse prevalecer, que o prefeito fosse rever os seus conceitos e pudesse de fato tomar uma atitude correta, já que ele provocou todo o rompimento, que seguisse no caminho dele e fizesse a caminha dele em paz, e que nós continuaríamos a nossa caminhada”, relata.

A parlamentar disse que o prefeito adotou um perfil agressivo durante sequenciais entrevistas concedidas aos veículos de comunicação, como forma de descontruir a história política dos Teles de Mendonça. “Diante de tudo isso, nós entendemos que chegou a hora dos Teles de Mendonça falarem, nós estamos em uma no eleitoral, em que Maria Mendonça coloca seu nome mais uma vez como pré-candidata e diante disso, nessa construção nos precisamos dizer a Sergipe que não somos covardes, mas fomos educados para respeitar o próximo”.

O rompimento de Valmir com Maria foi concretizado em outubro do ano passado, após a eleição da mesa diretora, em que o candidato indicado por Valmir, José Teles de Mendonça, primo de Maria, foi derrotado com os dois votos dos vereadores ligados a Maria Mendonça (João Cândido e Zé Roberto). A parlamentar disse que não orientou os parlamentares para a votação. João Cândido afirmou que o voto dele e Zé Roberto foi motivado pela falta de espaço na chapa da mesa diretora do agrupamento de situação para ele e seu colega.

Em relação ao pleito de outubro, a deputada Maria Mendonça confirmou o convite de Valadares Filho para fazer parte de seu agrupamento, mas que optou por manter-se ao lado do senador Eduardo Amorim (PSDB), e diz não haver problema em neste caso, apoiar o mesmo pré-candidato do prefeito. Sobre apoio a pré-candidatos a deputado federal e senado, manteve o mistério.

Em relação à eleição de 2012, diz ser ainda muito cedo para tratar, mas que não vê problemas em Itabaiana ter três palanques, reafirmando que não retornará a aliança com Valmir e que não irá se aliar ao seu adversário histórico, Luciano Bispo.

 

 


Compartilhar no Whatsapp
Imprimir