Domingo, 16.Dez.2018



Assentados do projeto Jacaré-Curituba ocupam estação de bombeamento como forma de protesto

Por Aparecido Santana, redação Xodó News.


09/10/2018 19:04
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

Assentados do projeto Jacaré-Curituba ocuparam na manhã desta terça-feira (09) a Estação de Bombeamento 100 (EB 100) que leva água para a sede do município de Canindé de São Francisco e o projeto irrigado Califórnia.

Os manifestantes relatam que o desligamento das bombas foi uma forma de protesto, em decorrência da dificuldade no fornecimento de água para os agricultores do projeto Jacaré-Curituba. A única bomba em funcionamento não têm potência suficiente para levar água a todos, como deveria.

Eles reclamam ainda do descumprimento de um acordo realizado entre produtores do projeto Jacaré-Curituba e do assentamento Valmir Mota para a utilização racional da água enquanto o serviço de reparo da segunda bomba que atende à localidade não é finalizado, uma vez que a ausência desse equipamento resulta em uma vazão de água menor para atendimento das demandas das duas localidades.

A Codevasf, responsável pelo manutenção do projeto informou por meio de nota, que uma equipe técnica está em Lauro de Freitas (BA), em visita à empresa, onde é realizado o conserto de uma das bombas que atende ao projeto Jacaré-Curituba para verificar o andamento do serviço. A expectativa é que o reparo do equipamento seja concluído em, no máximo, 20 dias.

A Codevasf esclareceu ainda que participa de Câmara de Conciliação da Advocacia Geral da União (AGU) para decidir sobre a gestão da operação e manutenção do projeto Jacaré-Curituba, que deve viabilizar uma atuação mais efetiva do governo federal na aplicação de recursos orçamentários em favor desse perímetro irrigado.

O Jacaré-Curituba

O perímetro irrigado é hoje o maior assentamento de migrantes da América Latina, com uma população de cerca de oito mil habitantes, assentada em 686 lotes, mas que vive em situação difícil pelo descaso do poder público.

O projeto foi criado em 1997, com investimentos do programa federal Mais Irrigação, executado pelo Ministério da Integração Nacional. No entanto, hoje se vive as incertezas quanto à responsabilidade pela gestão do local.

Em 2014, chegou a ser divulgado que o perímetro seria administrado pelo Estado, porém 04 anos se passaram e nada do que foi discutido na reunião da fatídica sexta-feira, 19, de dezembro de 2014, no Palácio dos Despachos não foi cumprida. No momento existe um colapso num conjunto de eletrobombas que deixou o projeto com menos 50% da capacidade operacional de abastecimento.

No perímetro irrigado Jacaré-Curituba (Canindé e Poço Redondo) já foram investidos mais de R$ 200 milhões nos últimos 20 anos, porém o local apresenta deficiências graves e tende a piorar a cada dia.


Compartilhar no Whatsapp
Imprimir