Sexta, 22.Set.2017



Brasil salta para 9° do mundo em adoção de IPv6

O levantamento mostra que a Bélgica segue em distante liderança, com 38% do tráfego em IPv6.


03/06/2017 13:37
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

O Brasil deu um salto grande em 2016 na adoção da nova versão do protocolo IP, praticamente dobrando a proporção desse tráfego, conforme mostra o novo relatório trimestral da Akamai sobre o ‘Estado da Internet’. Em um ano, o país pulou de 16o para 9º país com maior tráfego em IPv6. Segundo esse novo relatório, 13% do tráfego no Brasil já é no novo protocolo, contra 8% indicados no levantamento feito um ano antes, no primeiro trimestre de 2016. A Net aparece na lista dos 20 maiores provedores do mundo por volume de tráfego em IPv6 (22%).

O levantamento mostra que a Bélgica segue em distante liderança, com 38% do tráfego em IPv6, seguida da Grécia (25%), EUA (22%), Suíça e Trinidad e Tobago (ambos com 21%), Alemanha (20%), Índia (17%), Estônia (16%), Brasil e Reino Unido (ambos com 13%).

Velocidade

O Levantamento da Akamai também mostra que o Brasil teve um bom desempenho e voltou a ganhar posições no ranking global de velocidade de conexões à internet. O país teve média de 6,8 Mbps no primeiro trimestre de 2017, o que nos deixou em 79º nesse ranking – oito posições acima do relatório de dezembro de 2016, e 16 acima do 95º lugar que tinha há um ano. Segue, porém, abaixo da média global, que foi de 7,2 Mbps.

Segundo o levantamento, cresceu a proporção de acessos com mais de 4 Mbps, agora uma maioria de 63% de todas as conexões eram 52% em dezembro do ano passado, enquanto aquelas superiores a 10 Mbps chegaram a 18% (10% em dezembro) e as com mais de 15 Mbps a 5,8% (2,9%). Visto a partir do primeiro trimestre de 2016, esses avanços foram significativos: eram 44% das conexões acima de 4 Mbps; 3,8% mais de 10 Mbps e 1,1% mais de 15 Mbps, como destacado pelo relatório. “Na perspectiva anual, todos os países analisados viram aumentos nas taxas acima de 10 Mbps. Panamá e Brasil lideraram, com saltos de 270% e 381%, respectivamente.” O Brasil também é citado com “o maior aumento anual na adoção de taxas de 15 Mbps, com ganho de 451%”.

O topo do ranking não mudou. A Coreia do Sul mantém a liderança com 28,6 Mbps, seguida pela Noruega (23,5 Mbps), Suécia (22,5), Hong Kong (21,9), Suíça (21,7), Finlândia (20,5 Mbps), Cingapura (20,3), Japão (20,2), Dinamarca (20,1) e Estados Unidos (18,7).  Na internet móvel, a média brasileira no primeiro trimestre de 2017 ficou em 5,2 Mbps – eram 4 Mbps no fim de 2016 e 3,4 Mbps há um ano. Segundo o relatório, nesse território a variação vai dos 2,8 Mbps medidos na Venezuela aos 26 Mbps do Reino Unido. O relatório completo pode ser conferido aqui.

Fonte: Abranet.


Compartilhar no Whatsapp
Imprimir