Sexta, 22.Set.2017



Sexo oral e relações desprotegidas têm aumentado casos de supergonorreia

Membros da OMS já mostram preocupação com as situações, que inclusive já se apresentam irreversíveis em alguns países.


07/07/2017 13:22 - Atualizado em 07/07/2017 13:27
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

Por Iane Gois

A prática do sexo oral associada à falta de proteção nas relações sexuais está causando preocupação aos membros da Organização Mundial de Saúde (OMS), que atentam para uma perigosa forma da gonorreia, a supergonorreia.

Segundo a entidade, mais resistente a antibióticos, a Doença Sexualmente Transmissível (DST) já é considerada impossível de tratar em alguns casos, havendo a incidência de três, detectados em países diferentes, nos quais não foi possível reversão em virtude, de acordo com especialistas, da restrição de medicamentos.

Japão, França e Espanha estão entre as nações onde a infecção intratável já chegou, e a preocupação maior se faz no contágio através do sexo oral, que por conta de infectar a garganta (gonorreia na garganta) aumenta as chances de resistência aos medicamentos administrados na área, favorecendo o desencadeamento da supergonorreia.

GONORREIA, O QUE É?

É uma DST Causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, também conhecida como gonococo, que pode acometer qualquer pessoa com vida sexual ativa através do ato sexual oral, vaginal ou anal.

SINTOMAS NOS HOMENS (PÊNIS)

*Dor e ardência ao urinar
*Secreção abundante de pus pela uretra
*Dor ou inchaço em um dos testículos.

SINTOMAS NAS MULHERES (VAGINA)

*Aumento no corrimento vaginal, que passa a ter cor amarelada e odor desagradável
*Dor e ardência ao urinar
*Sangramento fora do período menstrual
*Dores abdominais
*Dor pélvica.

EM OUTRAS ÁREAS DO CORPO

Reto
: os sintomas comuns da gonorreia na região anal são coceira, secreção de pus e sangramentos
Olhos: dor, sensibilidade à luz e secreção de pus em um ou nos dois olhos
Garganta: dor e dificuldade em engolir, presença de placas amareladas na garganta
Articulações: se a bactéria afetar alguma articulação do corpo, esta poderá ficar quente, vermelha, inchada e muito dolorida.

FATORES DE RISCO

*Pouca idade
*Ter vários parceiros sexuais
*Ter um parceiro com histórico de qualquer infecção sexualmente transmissível
*Não usar camisinha durante o ato sexual
*Uso abusivo de álcool ou de substâncias ilegais, que é um fator de risco para o sexo desprotegido.

Para evitar o contágio, recomenda-se o uso de preservativos durante a relação sexual, assim como o não compartilhamento de toalhas ou objetos pessoais íntimos que podem conter a bactéria.

Fonte: Bem Estar


Compartilhar no Whatsapp
Imprimir