Domingo, 24.Set.2017



Conselheiros Tutelares de Itabaiana possuem menor piso salarial entre os maiores Municípios

Categoria decide paralisar atividades a partir da sexta (21).


19/07/2017 22:37 - Atualizado em 20/07/2017 14:00
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

Por Aparecido Santana, redação SergipeNet.

Os conselheiros tutelares do município de Itabaiana decidiram entrar em greve, a partir da próxima sexta-feira (21). Os profissionais reclamam da falta de estrutura, do pequeno número de profissionais para atender a população, do baixo salário, além da falta de diálogo com o poder público.

A cidade Serrana de acordo com os últimos dados do IBGE possui uma população de 94.393 mil habitantes. No entanto, mesmo com aumento populacional, a atual gestão municipal decidiu fechar um dos distritos do conselho, e atualmente apenas cinco conselheiros atendem o município.

No balanço do ano de 2016, o conselho de Itabaiana contabilizou 4.466 ocorrências. “Encaminhamos para atendimento psicológico, psiquiatra, para a rede (Cras e Crea) e se a situação for de violação dos direitos, que precisa ser registrado como crime, fazemos boletim na Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente e comunicamos ao Ministério Publico”, narra os conselheiros em ofício encaminhado ao Ministério Público sobre a situação.

Ainda acrescenta no ofício encaminhado ao MP, que o conselho atende demandas nos finais de semana, feriados, no centro e nos povoados, muitas das vezes ultrapassando as 40 horas de trabalho. “Em algumas ocasiões não conseguimos acompanhar os casos como gostaríamos”.

De acordo com a conselheira Elizamara Ferreira, a Secretaria de Desenvolvimento Social não tem dialogado com o conselho, e falta estrutura para desempenhar as atividades. “Mandamos ofício para secretaria, gabinete do prefeito, mas não somos levado a sério”, enfatiza.

A conselheira reconhece que apesar do baixo salário, as reivindicações não se concentram neste problema, uma vez que no edital as pessoas que concorreram já tinham consciência da situação. Mas ela relata que a sociedade vem cobrando visitas as quais não podem ser cumpridas pela falta de estrutura e profissionais.

Em entrevista a Capital do Agreste, o prefeito disse que ao assumir a gestão havia três meses de salario atrasado e regularizou, e desde o inicio de sua gestão, o edital já foi lançado com um salário mínimo.

O Sergipenet fez uma pesquisa sobre o número de profissionais e os salários recebidos nas 10 cidades com maior população no estado, e surpreendentemente Itabaiana possui o mais baixo salário ao lado de São Cristóvão, mas o município da grande Aracaju possui 10 conselheiros, mesmo com menor população, enquanto Itabaiana apenas cinco.

Em Itabaianinha os conselheiros, que recebem R$ 1.400,00 também reclamam do salário, da falta de pagamento de adicional noturno, diárias, e entre outros direitos.


Compartilhar no Whatsapp
Imprimir