Domingo, 24.Set.2017



Governador solicita recursos para UFS e Instituto Federal de Propriá

Jackson Barreto comentou que a região do Baixo São Francisco, que abrange o município de Propriá, possui o menor Índice de Desenvolvimento Humano e Sergipe e recebe políticas públicas específicas voltadas para seu desenvolvimento econômico. Para ele, IFS


09/08/2017 20:18
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

A expansão do ensino superior em Sergipe é pauta permanente do governador Jackson Barreto. Nesta quarta-feira, 09, durante agenda administrativa em Brasília, o governador reuniu-se com o ministro da Educação, Mendonça Filho, para tratar dos cortes no orçamento da Universidade Federal de Sergipe e dos repasses para construção do Instituto Federal de Propriá, na região do Baixo São Francisco. O deputado federal Fábio Reis também participou do encontro.

Jackson destacou a importância educacional da Instituição, que comemora 49 anos em 2017 e possui cerca de 30 mil alunos. “É preocupante a situação das universidades. Nossa UFS é uma instituição fundamental para o desenvolvimento de nosso estado e formação de nossos jovens”, disse.

O ministro garantiu que a UFS não corre risco de suspensão de ano letivo e fechamento. Ele informou que já foram repassados 70% da verba de custeio prevista para este ano e a previsão é alcançar 80% em setembro. “Ano passado, executamos 100% do custeio das universidades federais. Este ano, nosso objetivo é repetir isso. Não podemos dar garantia ainda porque não tivemos sinalização do planejamento da Fazenda, mas já chegamos a 70%. Próximo mês, chegaremos em 80% de custeio”, afirmou Mendonça Filho.

IFS

A continuidade das obras do Instituto Federal de Propriá também foi discutida. O deputado federal Fábio Reis relatou que houve diminuição orçamentária para todas unidades do estado.

“Essas obras do IFS já estão em andamento. Diminuíram a planilha orçamentária de todos os IFS do estado. Temos unidades em Aracaju, Glória, Socorro, Poço Redondo”, afirmou Fábio Reis.

O ministro explicou que a tendência é ampliar gradualmente o teto de custeio dos institutos federais do País e que a verba para o IFS de Propriá, no valor de R$ 2 milhões, está no orçamento deste ano. “O reitor abriu sete novas frentes de trabalho e tem a obra mais cara da rede, orçada em R$ 31 milhões, o que dificultou a gestão de recursos. Conversamos com o reitor para negociarmos com as empresas, para fazer uma repactuação e baixamos para R$ 15 milhões. Ano passado, repassamos R$ 6 milhões e, este ano, reservamos R$ 6 milhões para Sergipe. Estamos tentando destravar para dar continuidade às obras. Em Propriá, a demanda é de R$ 2 milhões e está dentro do recurso que será enviado”.

Jackson Barreto comentou que a região do Baixo São Francisco, que abrange o município de Propriá, possui o menor Índice de Desenvolvimento Humano e Sergipe e recebe políticas públicas específicas voltadas para seu desenvolvimento econômico. Para ele, IFS é um importante instrumento de mobilidade social na localidade. “Esse IFS de Propriá tem tempo que não se coloca uma pedra. O Baixo São Francisco é a região de pior IDH de nosso estado e o IFS é uma obra importante para Propriá porque vai oferecer educação de qualidade para os moradores”, afirmou.

Fonte: ASN.


Compartilhar no Whatsapp
Imprimir