Quarta, 13.Dez.2017



Presos quatro dos cinco envolvidos no roubo à propriedade rural do prefeito de Canhoba

Durante a ação, os assaltantes chegaram a agredir fisicamente o prefeito e o caseiro da propriedade.


17/08/2017 15:34
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Telha, realizou nos últimos dias operações que culminaram com as prisões dos envolvidos no roubo à propriedade rural do prefeito de Canhoba, Manoel Arroz, no dia 23 de julho. Foram presos os sergipanos Alex Santos Júnior, Welisson Serafim Santos, Clovis Barreto Rodrigues e Euclides Sousa Santos.

O crime, ocorrido nas primeiras horas da manhã, foi realizado por cinco homens que renderam o prefeito, esposa, filho, nora e caseiro, mediante emprego de violência física e armas de fogo. Toda a ação foi comandada por Clóvis, que já tem passagem pela polícia pelo crime de porte ilegal de arma. 

Segundo o delegado responsável pelas investigações, Henrique Tomiello, a quadrilha saiu do povoado Pau Ferro, em Maruim, em direção à propriedade do prefeito. "Foram subtraídas duas armas de fogo da fazenda, uma espingarda calibre 12, uma pistola e cerca de R$4 mil  em dinheiro. A quadrilha é especializada em roubos contra o patrimônio público nos estados de Sergipe e Alagoas e sempre atua com muita violência", destacou. 

Na data do fato, a Polícia Militar conseguiu prender em flangrante Alex. No último dia 7, após investigações a polícia realizou as prisões de Welisson e Clovis na cidade de Porto Real do Colégio, estado de Alagoas. Com eles foram apreendidos um revólver calibre 38 e uma escopeta calibre 12, ambos utilizados no assalto. E na última quarta-feira, 16, foi preso no povoado Aldeia, localizado na zona rural de Santo Amaro das Brotas, Euclides Sousa Santos.

Outros dois integrantes da quadrilha, Welisson e o foragido Jeferson, também já têm passagem pelo sistema prisional do estado.

Foragido 

As investigações continuam no intuito de localizar o motorista do carro utilizado pela quadrilha, Jeferson dos Santos Cavalcante, mais conhecido como "Géu", que até o momento ainda está foragido.

A população pode auxiliar a polícia denunciando a localização dele, por meio do Disque Denúncia 181, ou do Aplicativo Disque Denúncia SE, disponibilizado para aparelhos Android e IOS. O anonimato é garantido.

banner topo

Compartilhar no Whatsapp
Imprimir