Sábado, 23.Set.2017



Lula em Itabaiana: “Quando lancei o Fome Zero, muitos jornais foram contra”

Ex-presidente não polemizou sobre a política local.


21/08/2017 21:57 - Atualizado em 21/08/2017 22:24
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

Bandeiras, palavras de ordem, homenagens, discursos inflamados, políticos de vários partidos e a expressão que desde 1989 está presente no imaginário dos brasileiros: “olê, olê, olé, olá, Lula, Lula”.  Este foi o cenário na tarde desta segunda-feira, 21, na Associação Atlética de Itabaiana ao recepcionar a Caravana liderada pelo ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva que pretende percorrer até o inicio do mês de setembro todos os estados do Nordeste.

Fotos: Marcos Polim

O evento que atrasou mais de três do início previsto no cronograma da organização, teve vários oradores, além do próprio petista. O anfitrião Luciano Bispo (PMDB), que até recentemente era um ferrenho crítico dos governos de Lula e Dilma, voltou a se reencontrar com seu antigo aliado da década de 1980 e deixou claro sua postura no ato.

“O senhor já esteve aqui em quatro ocasiões e hoje, presidente Lula, eu quero agradecer do fundo do meu coração a sua presença em Itabaiana”, disse Luciano em seu discurso, para em seguida elencar os ganhos da sociedade brasileira durante o período em que Lula comandava o Brasil. E concluiu: “Tenho honra de ser liderado por Francisco Gualberto na Assembléia, amigo de Márcio Macedo e de Rogério Carvalho que estão trabalhando para corrigir as mentiras eu espalham sobre o PT”, disse.

Figura mais esperada da tarde, Lula falou em torno de 25 minutos e começou relatando sua trajetória de vida desde a sua viagem de Pernambuco a São Paulo e as dificuldades até chegar presidência. O ex-presidente explicou os motivos da Caravana que pretende passar 22 dias viajando de ônibus pelos estados nordestinos. “Não estou viajando para fazer campanha, porque seria mais fácil desembarcar de avião nas capitais e jantar com os políticos. Eu estou tentando compreender o que está acontecendo neste país”, enfatizou.

Lula voltou a defender seu legado e fez comparações entre seu mandato e o período que ele classifica como “governado pelas elites”. “A imagem que se tinha do Nordeste era da seca, da fome, das pessoas que não tinham acesso à universidade e eram forçados a ir embora para o sul. Fui presidente para corrigir isso, e quando a imprensa me criticava para que fizesse estradas pontes e rodovias eu pensava 'o povo não come areia e nem cimento’ eu ignorava e planejava ações para o povo”, destacou.

Presenças

Além do presidente estadual do PT, Rogério Carvalho, e do vice-presidente da legenda, Márcio Macedo, outras estrelas do partido como Francisco Gualberto, deputado estadual e João Daniel, deputado federal, faziam parte da comitiva de Lula em Sergipe. O deputado federal Fábio Mitidieri também estava no evento.

Além disso, vereadores e prefeitos da região também compareceram, estes últimos sendo representados pela prefeita de Nossa Senhora Aparecida, Vera Sousa (PMDB). O vice-governador Belivaldo Chagas e o governador Jackson Barreto prestigiaram o evento mas não discursaram

Mobilização em outras cidades

No percurso da caravana várias cidades aguardavam a passagem de Lula e as pessoas se aglomeravam na esperança de vê-lo ou cumprimentá-lo. Antes de chegar a Itabaiana, a população de São Domingos fez um apelo ao presidente para que parasse e fizesse um breve discurso, ocasionando um atraso na solenidade a cidade serrana.

A noite, já na ida a Nossa Senhora da Gloria, Lula acompanhou diversas pessoas acenando e gritando seu nome a avenida Abdon José Barreto, em Nossa Senhora Aparecida, por onde a caravana passou por volta das 19 horas.


Compartilhar no Whatsapp
Imprimir