Sexta, 17.Nov.2017



Lula: Universidade deve deixar de ser privilégio para ser direito

Ex-presidente recebeu, nesta segunda-feira (21), título Honoris Causa da Universidade Federal de Sergipe, no campus de Lagarto, interior do estado.


21/08/2017 22:59
Compartilhar no Whatsapp
Imprimir

A Universidade Federal de Sergipe, no campus de Lagarto, interior do estado, recebeu uma ilustre presença nesta segunda-feira (21). E o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu uma grande homenagem da universidade: ele foi agraciado com o título Honoris Causa.

“Eu agradeço de coração pelo título. Quero compartilhar esse título com a comunidade acadêmica e com todos que lutaram e continuam lutando pela universidade pública”, disse o ex-presidente.

Durante a fala na cerimônia, que contou com a presença do reitor, Angelo Roberto Antoniolli, de professores,estudantes, do vice-presidente nacional do PT Marcio Macedo, do presidente do PT-SE, Rogério Carvalho, Lulavoltou a se emocionar ao falar do ex-governador Marcelo Déda e de José Eduardo Dutra, ambos sergipanos.

“Eu quero dedicar esse título ao povo brasileiro, aos estudantes, quero incluir Déda e Dutra”.

Ele também relembrou os esforços feitos pelo governo federal, quando governado pelo PT, que permitiram iniciar a grande mudança no ensino público, especialmente no Nordeste.

“O número de  matriculados no ensino superior passou de 3,5 milhões de alunos, em 2003, para cerca de 8 milhões de estudantes até 2014. Ainda é pouco, ainda é motivo de vergonha de ter poucos alunos na universidades”.

“O Brasil precisa entender que educação não é gasto, é investimento e que esse país só vai ser grande e competitivo com uma sociedade moderna, vivendo padrão de decência e cidadania, quando a universidade deixar de ser privilégio e pasar a ser direito de todos”, voltou a cobrar o ex-presidente.

Ao citar alguns dos programas lançados por seu governo e voltados para as universidades como ProUni, Reuni eFies, Lula agradeceu ao trabalho do ex-ministro da Educação Fernando Haddad.

“Eu cheguei a pensar em usar o FGTS para garantir os estudantes pobres na universidade. Aí Haddad me aparece com a ideia de trocar dívida e quantidade de impostos que as universidades pagavam e estavam devendo, abrir mão dessa dívida, para garantir bolsa de estudo para meninos e meninas da periferia, população negra e indígena”, contou.

“Não foi tarefa fácil. muita gente dizia que a gente queria salvar a universidade particular. Antigamente, você não via nas universidades negros, um doutor negro era difícil encontrar. Eu lembro a dificuldade de encontrar uma pessoa negra para a Suprema Corte”, disse o ex-presidente, em referência ao ex-ministro Joaquim Barbosa, indicado ao Supremo Tribunal Federal por Lula em 2003.

O ex-presidente voltou a cobrar que os políticos brasileiros parem de tratar educação como gasto e passem a realmente investir nesse setor. Ele ainda lembrou os inúmeros avanços que o Nordeste conquistou, nos últimos anos, com a educação.

“O Nordeste hoje tem 20% dos estudantes de ensino superior, superando o Sudeste.O número da expansão do ensino superior em Sergipe saiu de 45 mil alunos, em 2004, para 80 mil em 2013. Hoje só na Universidade Federal de Sergipe são 33 mil. Essa universidade expandiu em quatro novos campi no interior: Glória, Lagarto, Laranjeiras e Itabaiana”.

Sobre atuação da universidade na cidade do interior sergipano, Lula ressaltou a opção por políticas públicas e pela mudança na perspectiva da reunião. “A UFS foi uma das primeiras do Brasil a adotar o sistema de cotas sociais. O campus de Lagarto tornou-se parte integrante do SUS.  É inovador um projeto que integra ensino universitário ao sus na cidade. O Brasil precisa conhecer a experiência de Lagarto para saber como funciona essa universidade. Acabar com o complexo de vira-latas e passar a acreditar e gostar das coisas que fazemos aqui”.

Por PT/SE.

Drogaria_rezende

Compartilhar no Whatsapp
Imprimir